Reflexão na hora do almoço

Bom dia, meus caros compatriotas.

O quanto você ama seu país e agradece a Deus por todo dia poder admirar nossa natureza? Vivemos num país privilegiado, sem grandes desastres naturais, sem vulcões ativos, terremotos, temos bastante água e a maior floresta do mundo tem grande percentual em nosso território. Somos uma miscigenação de todos os povos do mundo e temos orgulho dessa mistura de raças, cores e credos. Somos um país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza que, por sua vez, é muito mal administrado, tanto pelos seus governantes quanto pelo seu povo.

Não me recordo bem da data, mas sei que há alguns anos, houve um alarde intenso pela visita dos Simpsons a nosso país. Ao fim do episódio, a polêmica explodiu como uma bomba de pavio mínimo, repercutindo do Acre à Uruguaiana de como Matt Groening era um filho-da-puta de falar assim de nossa linda pátria amada, a tal terra do contrário, onde neva pra cima, é inverno no verão e etc.

Homer Simpson mentiu? Não. É que a verdade, assim como um soco, dói, machuca e às vezes deixa sequelas, e o brasileiro sofreu uma pancada tão intensa que até sua muleta de 500 anos foi parar longe.

Poxa, aqui não é a terra do contrário, é muito pior. Um local onde empresários cuidam de circo e palhaços de nossos poderes legislativo e executivo. Um lugar onde a educação e saúde são luxos, enquanto as viagens e benefícios de parlamentares passam a ser prioridade nacional.

De um lado temos a direita, muito bem representada por ótimos destros, como o PSDB e o DEM, que se interessam, na maior parte, pelos interesses de uma minoria liberal, e do outro lado do ringue tem aquele rebelde que é destro, mas quer escrever com a mão esquerda só pra parecer canhoto. É o caso do PT e de todos os representantes da sua corja nojenta, todos seguidores do Zé Dirceu, o lord Voldemort da política, aliado às suas duas marionetes: Lula e Dilma.

Pra completar essa guerra de Titãs temos as celebridades que sabem o que é bom pro povo: Tiririca, Mulher Pêra, Netinho de Paula (o comunista, que fique bem claro que ele é de esquerda e defende a sociedade igualitária), Maguila, KLB. Todos esses que NUNCA sumiram da mídia e não querem a boa vida da política. Querem mesmo é lutar pelo povo – aham, Cláudia, senta lá.

Também temos os pobres coitados que sofrem “perseguição” da imprensa: Renan Calheiros, Sarney (o bigodudo e Roseane), e principalmente o ACM, que mesmo morto, consegue mandar seus pequenos e herdeiros demônios pras disputas.  E o povo reclama, claro, porque é fácil achar culpados: o cara que não investe na educação, não arruma a saúde, rouba descaradamente e tudo o mais. Só que memória de brasileiro é curta, porque hoje a mesma senhorinha que reclamou disso pra mim na fila do SUS, amanhã vai votar no cara que prometeu o aumento do bolsa-esmola, que como disse Plínio Arruda, não é um direito, mas sim um programa cabível de falha.

Nosso PIB é maravilhoso e, mais uma vez repito, não temos problemas com recursos naturais. Mas é tudo mal distribuído por, no mínimo, 500 reais  pra cada cidadão que paga mais de 700 de imposto, enquanto os lá de cima são impunes na justiça, ganham mais de 3o salários mínimos fora as regalias, que não estouram o orçamento nacional, enquanto os aposentados que construíram esse país, esses sim estouram.

Nossas saúde, educação e segurança não são prioridades porque todos os deputados e senadores são honestos e não vão desviar para esses itens o dinheiro que é direcionado para seus bolsos. E trair ideal? Jamais. Nenhum político trai o ideal que defende durante sua candidatura, ele apenas se acomoda porque ele tem o último ano de mandato pra começar a pensar no que prometeu. Pra que estragar três anos de vida mansa se preocupando com o povo?

É tão mais fácil eu, um cara que disse pra massa que renunciei meu cargo, ficar por trás das cortinas, movendo fios para tornar esse país numa ditadura proletária. Mas eu falo pro meu povo que essa ditadura é boa. Que é eufemismo e que não vai tirar a liberdade de ninguém. Ataco a imprensa e a oposição em defesa do público, não porque eles tão me desmascarando.

Enquanto isso, o brasileiro reclama do governo na fila do SUS, quase morrendo doentes.

– Odeio esses governantes.

– Por que não faz alguma coisa?

– Não posso, tem qui fazê armoço dos meus fios.

E eles continuam lá, rindo da nossa cara igual eles fazem desde a era Collor, que vai ser eleito de novo para o cargo que concorre, alguma dúvida disso?

Não sei qual o problema. Podem ser alguns desses – ou todos juntos:

  • Memória curta;
  • Falsa esperança;
  • Fanatismo partidário, igual no futebol;
  • Burrice;
  • Ou o brasileiro é tão sarcástico e piadista que não difere mais o sério da piada.

Aliás, não é engraçado sermos um dos únicos países em que existem mais que duas frentes partidárias? Será que esquerda, centro e direita são tão subdivisíveis assim? Ou será que essa é a assinatura da palhaçada em que vivemos todo e cada dia?

Ainda somos obrigados a ouvir nas ruas que “por protesto, eu vou votar no Tiririca, mano. É REVOLUÇÃO.” É um pensamento lindo. O cara liga o Rage Against the Machine no mp3, usa a camiseta do Che Guevara sem saber quem é e vota nesse cara achando que tá fazendo um favor pro país.

Realmente, vamos sentar e admirar toda a beleza de nosso país porque é o que nos resta. Como toda moeda, temos o cara e a coroa. E a cara do brasileiro já tá dada a tapa faz tempo.

p.s.: Uma vez, uma pesquisa feita durante um evento erótico confirmou que o brasileiro é chegado no sexo anal. Conota ou Denotativamente? Analise a foto.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s